domingo, 18 de janeiro de 2009

Dois é o prazer: gozar e o gozá-lo.





Dois é o prazer: gozar e o gozá-lo.

Ao néscio elege o parvo, o sábio ao outro.

E o igual fado é diverso.

Na taça que ergo, ondeio, e vejo, as bolhas

Incluo no que sinto, e ao beber

Mais puro está no gosto.



21-2-1928

Poemas de Ricardo Reis. Fernando Pessoa. (Edição Crítica de Luiz Fagundes Duarte.)Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1994.

- 128.

Um comentário:

  1. Nhae carroceiro!
    Fernando Pessoa é o cara. Vale a pena pô-lo na carroça.
    abs

    ResponderExcluir